Revista Vão Livre No.1

PANORAMA

GERAL

Agradecimentos - Informador das Construções, IAB-MG e VÃO LIVRE agradecem àqueles que colaboraram com a festa de lançamento de VÂO LIVRE : Cia. Alterosa de Cervejas, Bar e Restaurante Panorama, Banda de Cachoeira do Campo, Cabo Júlio, Antônio, Paulo e Alcebíades.

Vão Livre


Próximo número - Devido às férias e a dificuldade de contato nesse período, estaremos aliviando o número dois para matéria mais visual no tema central, que versará sobre a arquitetura do abastecimento. Já contamos com os três mercados distritais de BH, e aguardamos contribuição dos colegas que queiram enriquecer o assunto. Pedimos plantas, cortes e demais desenhos que permitam redução em traço ou retícula, fotos em papel brilhante, além das justificativas e proposta para o problema.

Vão Livre

IAB no Espírito Santo - O VÃO LIVRE deseja manter entendimentos com os colegas deste estado para divulgar trabalhos, idéias e propostas. Esperamos com isto manter maior contato e comunicação entre a classe.

Vão Livre

Aos colegas - Vão Livre não é, repetimos, o trabalho de uma minoria no IAB. A prova disso é esse número um já resultado de contribuições de novos colaboradores. Vocês, que tanto tempo ficaram calados, não acreditamos nada terem a dizer. Colaborem,  enviem cartas, critiquem os números já publicados, ajudem os que estão aqui pegando no duro todo mês a não perder fôlego e ritmo.

Vão Livre


Vade retro, Adolpho
- A Construtora Adolpho Lindemberg entrou com o pedido de concordata, no dia 29/6/79, na 219 Vara Cível.

Álvaro Hardy



LOCAL

Exposição no Palácio das Artes
- De 12 de julho a 7 de agosto acontecerá em BH o VII Salão Global cujo tema será uma amostragem da arte mineira. Haverá três salas:

1- Mestres Barrocos, com obras autênticas de Aleijadinho, Ataíde e outros.
2- Premiados dos Salões Anteriores
3- Artistas convidados: Maria Helena Andrés, Sara A'Villa, Lotus Lobo, Roberto Gil, Paulo Laender.

Na foto escultura de Paulo Laender.

Escultura Paulo Laender
Vão Livre


Patrimônio

Um mau exemplo - O deplorável exemplo que a cidade de Bocaiúva acaba de dar, demolindo um monumento religioso do período colonial é de fazer estarrecer até mesmo as pessoas afastadas de qualquer preocupação direta com os assuntos de Patrimônio Histórico e Artístico.

O fato de a população envolvida descarregar seu descontentamento nos órgãos federal e estadual responsáveis pela conservação do patrimônio, acusando-os de total desinteresse não justifica nem pode explicar o que ocorreu.

Era hora de o povo ferido juntar-se em um só esforço e levantar seus próprios recursos para a completa restauração do imóvel.

Por que só os Patrimônios Federal e Estadual é que 1 teriam que assumir o trabalho? Por que não a própria paróquia e a diocese? Onde está a comunidade que agora grita pelo precioso bem perdido?

E a nova igreja que está sendo erguida no local da demolida? Os recursos para sua construção não estariam melhor aplicados na restauração do templo antigo?

Minas Gerais é o Estado brasileiro que mais bens culturais ou bens de patrimônio histórico e artístico possui. Nós temos pelo menos 15 cidades históricas e milhares de monumentos a serem preservados. Já não é tempo de uma conscientização maior de todas as populações envolvidas de que preservação é o imperativo de todas as comunidades onde se localizam os bens e não uma simples obrigação legal de órgãos oficiais?

Eduardo Roberto Tagliaferri
 

GERAL    

Manifesto do Rio Negro - Da recente apresentação do Manifesto do Rio Negro apresentado em 3/7/79 em São Paulo, 4/7/79 em Brasília e 5/7/79 no Rio, vale apenas transcrever dois tópicos:

"A natureza para o homem de cidade é reduzida à atrofia de um jardim botânica". Sepp Baendereck.

“Trata-se de lutar muito mais contra a poluição subjetiva que contra a poluição objetiva, a poluição dos sentidos e do cérebro, muito mais que a do ar ou a água”. Pierre Restany.

Éolo Maia


LOCAL


GAF I - Gomes de Almeida, Fernandes, consociado com uma empresa do grupo ao qual pertence a FIAT, incorpora edifício de salas na Av. Afonso Pena esquina com Guajajaras. O projeto arquitetônico original, autoria de Álvaro Hardy, foi encomendado em 1976 por grupo mineiro que, desistindo de participar do empreendimento abriu lugar à entrada na Praça da Gomes de Almeida Fernandes (GAF), fato ocorrido no primeiro semestre de 1979. Pode-se prever de antemão, o tremendo quebra-lanças em que se envolverá o arquiteto em defesa do seu projeto original.

Ronaldo Masotti


GAF 11
- "É preciso exorcizar o mito do mato", é opinião de Carlos Moacyr Gomes de Almeida (reportagem POR ONDE ELES PASSAM . . . NÃO NASCE GRAMA, revista Homem, no. 28, novembro de 1977, Prêmio Nacional de Jornalismo em 1978) Alerta geral na cidade : que se cuidem Parque Municipal, adros de igrejas. Mata do Jambreiro, etc. . . .

Ronaldo Masotti


 
Esporte Clube Ginástico
- Aviso aos passantes: o projeto do ginásio coberto, ora em execução na Av. Afonso Pena não obedece ao projeto original de minha autoria.

Álvaro Hardy

Boca maldita - Panorama é o nosso "speakers corner", nossa boca maldita. Aqui publicamos sua opinião, sua denúncia, sua sugestão, sua posição, sua curtição e também (por que não?) a sua burrice. Contribua da forma que lhe aprouver.

Vão Livre

Gorduras - Abaixo, foto de um feliz morador das gorduras, saltitando de felicidade depois de receber a sua moradia.

"Lay-out", Éolo Maia.

 

ARTES     

Entrevista - No próximo número, VÂO LIVRE publicará uma ampla entrevista com o escultor Amílcar de Castro sobre a sua obra. Coincidirá com a inauguração da Bienal Internacional de São Paulo onde este escultor possui sala especial. Serão publicados diversos pensamentos e trabalhos deste artista, principalmente os últimos executados em Ouro Branco.

Éolo Maia

escultura
Escultura "O Passo". Foto de A. Faria


LOCAL

Memória de BH
- Vão Livre está interessado em reunir documentação fotográfica de Belo Horizonte, de sua fundação à década dos 50. Quem puder ceder, ou emprestar para copiarmos, já agradecemos antecipadamente.

Vão Livre


Catálogo
- A Açominas lançou o catálogo "Edifício de Andares Múltiplos para arquitetos. engenheiros e estudantes. Este catálogo, o primeiro de uma série, é destinado â difusão do uso da estrutura metálica no Brasil, com a utilização de perfis laminados.
Os interessados devem se dirigir â Av. Getúlio Vargas, 1420, 6o. andar, em BH Aproveite gente, que é de graça.

Vão Livre

A hora e a vez da "jóia brasileira" - "O Brasil embora seja um dos maiores, senão o maior produtor de pedras preciosas coradas do mundo, até hoje não conseguiu formar uma tradição no mercado internacional.

Existe, pois necessidade de informar àqueles que desconhecem as peculiaridades, problemas e dificuldades no setor, para que se programe uma regulamentação e organização do mercado de nossas pedras preciosas.

As pedras brasileiras até hoje têm representado lucro de alguns em detrimento de muitos e em prejuízo da nação. O setor regulamentado e organizado daria um atendimento social com a formação de técnicos e operários especializados para um mercado que inclui entre outras categorias profissionais: geólogos mineradores, garimpeiros, gemólogos, avaliadores, lapidários, pedristas, cravadores, ourives, gravadores, desenhistas, joalheiros, etc.; daria, também, uma garantia de investimento e atendimento não só à mineração e garimpo como às indústrias de lapidação, bijuteria e joalheria".

Jorge N. Trindade, Est. de Minas 9/7/79 Para atender a tal demanda profissional somente a criação de uma escola ampla e seria. Onde artistas, artesãos, desenhistas e conhecedores em pedra e jóia nacionais trabalhassem com base em nossas tradições e sincretismos.na criação da "jóia brasileira" que, cremos, será tão autêntica, bela e original na sua expressão quanto surpreendente no seu valor.

Paulo Laender


NACIONAL


Tributo a Stanislaw Ponta Prata
- Cada vez mais prolífico o Febeapá. No Programa Abertura de 9/07, o Sr. Marco Carneiro, presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (, declarou que o rodoviário é o nosso transporte ideal , e mais, apoiando-se nas imensas dimensões de nosso país e sem desconsiderar a crise do petróleo . . .) É claro, não se acredita que pessoa ocupando cargo tão importante na economia e na política acredite nessa burrice. Afinal, foi na TV, e o que se viu foi um artista representando o sorridente onisciente, que deveria exigir seu cachê não só da NPI, mas também dos demais patrocinadores, como Shell, Ford, DER, etc. A Cesaro que é de Cesar, adeus ao que é de Deus . . .

José E. Ferolla


Espaço Cultural
- A Prefeitura de Curitiba, através de sua Fundação Cultural e contando com amplo apoio da Comunidade, bancos e empresas, vem de assumir a recuperação do edifício onde, durante 40 anos, funcionou a Confeitaria Schaffer. Tradicional ponto de encontro e lazer da comunidade, a Confeitaria e o prédio praticamente desapareceram em outubro do ano passado, consumidos pelo fogo. A idéia de restaurar esse marco do espaço cultural partiu de arquitetos locais, com proposta que vai além da destinação original do edifício: a Schaffer, lojas e escritórios. Assim, além da Confeitaria, uma ocupação marcadamente cultural: café-concerto, galeria de arte e locais para venda de livros, peças de artesanato, discos, "posters". A inauguração será no ano em curso.

Em Belo Horizonte, carece de fundamento a notícia de que o Poder Público promoverá a restauração da Serra do Curral, talvez a única serra em todo o mundo que tem a primeira metade tombada pelo Patrimônio Histórico e a outra literalmente tombada por interesses não tanto históricos.

Ronaldo Masotti

LOCAL

Entornando o caldo
- Bem recebida pela população o "pool" das empresas fornecedoras de concreto misturado, objetivando o aproveitamento do material excedente para auxiliar a Prefeitura na dinamização da OPERAÇÃO TAPA-BURACOS. Ocorre, entretanto, que os motoristas, talvez por falta de prática, não têm conseguido acertar os buracos e o lançamento da mistura é feito diretamente sobre as pistas de rolamento. Apesar do mérito da campanha, o problema vem se agravando na medida em que se acentua o aparecimento de saliências de concreto lado a lado com crateras. Seria mais profícuo e também iniciativa de amplo alcance social as empresas contratarem operários não especializados, com a missão de seguir os caminhões fornecedores e "varrer" o concreto entornado para os buracos.

Ronaldo Masotti



Engenho Nogueira x Catalão
- O trevo construído em frente à nova sede da USIMINAS, por falta de complementação do projeto (faixas de segurança, placas direcionais, semáforos, etc. . . .) tem provocado inúmeros acidentes, só não causando ainda vítimas fatais. Quem é o responsável pela conclusão? A Prefeitura, o DETRAN, o Estado, o País, ou os motoristas e pedestres que se arriscam por ali? Quem acertar, erra.

Álvaro Hardy


Coordenação de Pesquisa
- A coordenação de pesquisa de Vão Livre está recebendo, para publicação na revista, artigos sobre pesquisas em andamento relacionadas com assuntos de interesse para os arquitetos. Incluem-se aí pesquisas tecnológicas, de processos e materiais, propostas de pesquisas de interesse, projetos utópicos ou conceituais; propostas de aproveitamento de áreas ociosas ou edificações com uso obsoleto; pesquisas de caráter histórico. Projetos antigos. Aceitam-se propostas e projetos em todas as áreas - design, urbanismo, meio ambiente, programação visual, decoração, arquitetura, técnicas e processos construtivos, etc. que tenham vinculações com o tema - homem, arquitetura, meio ambiente.

Vão Livre


Ex. Jardim Bueno Brandão
- Quem sabe onde está o antigo Jardim, construído em estrutura metálica, doado pelo rei da Bélgica, em 1914, demolido por volta de 1 964 para dar lugar ao atual?

Álvaro Hardy


LOCAL


Poluição junto ao Shopping Center - os moradores do bairro Novo Sion - Santa Lúcia, que se situa na confluência da Av. Raja Gabaglia com o trevo de Nova Lima, em frente ao Shopping Center, entraram na justiça com uma ação de defesa do meio ambiente contra a presença poluidora de uma usina de asfalto que ali mantém a Gama Construtora. Ao que se propala a família Guimarães, proprietária dos terrenos, estaria, também, acionando a mesma organização por ocupação não autorizada, vale dizer, por invasão de seus terrenos. Mas lá está a usina fumegando e poluindo, ás vezes noite e dia e até aos domingos - contra o que estatue a Lei | de Uso do Solo, contra o que preceituam o Plambel e a Prefeitura, contra a Justiça e a Propriedade e, o que é o mais grave em tudo isso - contra a saúde de todo um bairro.
 
Desenho Éolo Maia

NACIONAL

Energia I - O tema "Energia" terá papel importante nas questões de arquitetura e urbanismo ora em diante, podendo ser abordado de várias formas: conservação de energia em edificações ou cidades existentes, criação de novos projetos conservativos de energia, produção e exploração de fontes renováveis pelo balanço energético de uma edificação ou cidade, É um assunto complexo: um balanço energético, por exemplo, inclui a energia despendida desde a extração da matéria prima, seu transporte e transformação, produção e transporte dos materiais de construção, construção propriamente dita e sua operação, manutenção e demolição. Um currículo e um programa escolar atualizados que incluíssem prioritariamente este tema permitindo, desde sua formação básica, que arquitetos e urbanistas se familiarizassem e projetassem considerando os aspectos energéticos de suas criações. Isto se aplica tanto â atividade de projetar, quanto à legislação urbana planos de uso do solo e códigos de obras, que muito se enriqueceriam ao incorporar esse aspecto entre suas considerações prioritárias.

Maurício Andrés


Energia II
- Um aspecto para o qual Vão Livre deverá dedicar atenção permanente é o da relação entre a atividade criadora do arquiteto e o problema atual da energia. Sabe-se que a melhoria dos desenhos de habitações, o uso adequado dos materiais e da orientação dos prédios e outros recursos arquitetônicos podem reduzir substancialmente o consumo de energia de uma edificação. Assim também no zoneamento de uso do solo, no código de obras, no desenho do sistema urbano e na sua integração com o espaço rural residem formas eficazes de se conceber projetos urbanos conservativos de energia, autônomos, reduzindo as necessidades supérfluas de transportes, fazendo uso do potencial de recursos naturais locais, aproveitando os rejeitos e outras fontes de energia hoje mal aproveitadas,
Um debate constante sobre o assunto inicia-se já neste número, onde algumas das matérias procuram tratar dele, e de suas implicações sobre o uso do espaço e do território.) A intenção destes trabalhos preliminares é colocar em foco e em pauta um assunto no qual os arquitetos designers, e urbanistas poderão oferecer contribuições inestimáveis para a sociedade

Maurício Andrés



LOCAL

Política Cultural - A comissão de cultura que vem se manifestando e reivindicando por uma estratégia cultural para o estado e a municipalidade, acaba de redigir em conjunto )com a coordenadoria de cultura, um roteiro cultural para Minas Gerais. Tal roteiro, que será entregue brevemente ao governador, abrange as áreas de cinema, artes-plásticas, dança, música, teatro e literatura, servindo assim como subsídio base para a implantação de uma política cultural. Em tempo : enquanto em 1978 o estado de São Paulo destinou Cr$380.000,00 à cultura , Rio de Janeiro Cr$250.000,00, Minas Gerais reconhecidamente grande celeiro cultural do Brasil, apenas Cr$80.000,00. A comparação diz tudo.

Paulo Laender


LOCAL   

Buraco Verde - Enquanto isto com a grande campanha desenvolvida pela imprensa e parte da opinião pública em favor da preservação de áreas verdes em novos loteamentos e planejamentos urbanos, á primeira vista parece que os objetivos vão sendo alcançados.
Os menos desavisados, quando vem uma planta de um loteamento ou de alguns pretensos planejamentos, ficam felizes ao lerem "área verde" ou "de lazer". Mas como diz o Mestre: "ledo engano". As "áreas verdes" ou "de lazer" não passam, na maioria das vezes de tremendas grotas onde a especulação não vê conveniente em investir. Além do mais, estes buracos são de difícil conservação para o poder municipal tornando-se um local sem atrativos e impossibilidade de utilização a não ser para : vôo livre, pára-quedismo e alpinismo. Com a palavra o Planbel.

Éolo Maia



Explosão Metropolitana - É significativo o fato de que municípios vizinhos a região metropolitana de Belo Horizonte) como Mateus Leme e Igarapé, estejam sendo intensamente loteados, devido em parte ás restrições de parcelamento impostas pela lei de uso do solo na região metropolitana. Estima-se que somente em Igarapé existam mais de 30.000 lotes populares, e tanto este município como Mateus Leme dispõem de terras agrícolas que estão sendo comprometidas. O resultado deste processo pode ser prejudicial para a região de Belo Horizonte, onerando o sistema viário, o sistema de transportes, prejudicando a qualidade de vida da população. Maneiras de corrigir estas distorções existem, e caberia aos planejadores formulá-las e discuti-las.

Mauricio Andrés

Materiais/Equipamentos da Construção - Vão Livre está interessado em publicar matérias divulgativas dos materiais de construção disponíveis no mercado de BH, reunindo-os em grupos que cobririam uma obra de sua locação ao acabamento final. O objetivo é principalmente didático, como apoio aos calouros da Escola de Arquitetura.
E nesse sentido interessa-nos a descrição, dimensões e usos de cada produto, com ilustrações para maior clareza. Empresas interessadas contatar com Ferolla: 226-1525.

Vão Livre
 
 

última do [blog]

Morar (viver?) Bem.

Morar bem não é nada mais do que uma das premissas para Viver bem. 

Em 2003 escrevi como morar bem é poder desfrutar do urbano em um ambiente calmo (releia AQUI). Há 37 anos atrás, em1966, meu avô já dizia que "uma vida bem vivida não implica em termos castelos, palácios confortáveis léguas de terras, títulos de dívida pública, ricos,  confortáveis e luxuosos automóveis, aviões, helicópteros, altas posições políticas e sociais, porém uma vida tranquila de viver bem."

Heranças de família.

Leia mais...
Copyright